SP faz 1º plantio de arroz preto - Folha de Londrina - 06/12/2005

São Paulo - O Estado de São Paulo vai dar início nas próximas semanas ao primeiro plantio comercial de arroz preto do país. O cereal, que tem origem asiática, foi adaptado pelos pesquisadores do Instituto Agronômico (IAC) para as características de solo e de clima paulistas. Inicialmente será cultivada uma lavoura de 30 hectares da variedade IAC 600 em Pindamonhangaba (a 145 km da capital).

''O arroz preto já existe na China há 4.000 anos, mas agora vamos produzir em São Paulo, que é a capital gastronômica do país e o maior consumidor nacional de arroz'', disse Cândido Ricardo Bastos, pesquisador do IAC.

Por enquanto apenas um rizicultor, José Francisco Ruzene, aceitou o desafio da nova cultivar. O produtor estima que poderá alcançar até R$ 50 o quilo com a venda do produto contra R$ 1,50 do arroz tipo 1. Devido ao sabor acastanhado do arroz preto, a expectativa do produtor é vendê-lo para restaurantes de alta gastronomia e também exportar o produto.

As projeções de preço do produto Ruzene, entretanto, estão superestimadas, afirma o pesquisador do IAC. Bastos avalia que, uma vez comercializado, o preço do arroz deve chegar a R$ 14 por pacote de 380 gramas, tamanho de embalagem considerado mais adequado para a venda de arroz ''gourmet''.

Apesar da possibilidade de ganhos mais altos, a produtividade do arroz preto pode ser até 50% inferior à dos tipos comuns. Nos experimentos iniciais, registrou-se uma produção de cerca de 6 toneladas em 2 hectares. Outra característica é a sua precocidade. Enquanto um arroz normal leva de 130 a 140 dias entre o plantio e a colheita, o arroz preto pode ser colhido em 100 dias. ''Esses testes foram feitos para as condições de São Paulo'', afirmou o pesquisador do IAC. Para os interessados, o IAC fornece saca de sementes de 40 kg por R$ 100. Onde encontrar: telefone: xx / 19 / 3241-5188

VOLTAR

Desenvolvido por CMC Multimídia